Mangaká: Io Sakisaka
Editoras: Shueisha
Editora lusófona: Panini
Público alvo: Shoujo
Capítulos: 49
Volumes: 13
Ano: 2011 — 2015

Mangás, os famosos quadrinhos japoneses (ao qual eu já expliquei um pouco o que são aqui), são muito gostosos de ler quando estamos com pressa ou apenas querendo passar o tempo com uma leitura mais ‘leve’. Sendo assim, hoje venho com a nossa primeira resenha de mangá aqui na Tulipa Literária, vamos comemorar! O escolhido? O lindo romance entre Futaba Yoshioka e Kou Tanaka.

Nossa história de amor se inicia quando Kou e Futaba ainda estavam no Fundamental, quando ambos se gostavam, mas nunca haviam tido coragem de se declarar um para o outro até que inesperadamente Kou decide chamar a menina para um encontro em um dado festival. Contudo, como se não bastasse não aparecer no dia do encontro, o garoto acaba desaparecendo da vida de Futaba sem explicações — fato que a deixa triste consigo mesma por nunca ter tido coragem de se declarar para o rapaz antes.

Já no Colegial, Futaba passa por algumas situações muito delicadas quando se depara fazendo sucesso com os garotos devido a sua aparência, o que leva a menina não só a odiar garotos como também a ter uma relação em cordas bambas com suas supostas amigas que não aceitavam que ela fosse atraente. Por consequência disso tudo, Yoshioka se vê obrigada a criar uma personalidade rude e uma aparência desleixada para não ficar sem amigas. Tinha uma vida com uma falsa felicidade absurda que estava longe de se romper até se deparar com um garoto extremamente parecido com Tanaka no final do corredor, porém assinando com o nome de Kou Mabuchi.

Yoshioka entre em pânico e com toda razão! Como pode um garoto ser extremamente parecido com seu antigo amor e nunca ter percebido ou até mesmo falado consigo? Na primeira oportunidade que encontra acaba por confrontar o garoto e assim descobre que Kou Mabuchi e Kou Tanaka são na verdade a mesma pessoa.

Tal descoberta enche seu coração de esperança, mas logo ela some quando Kou revela que no passado gostava da menina, mas que agora seus sentimentos mudaram. Perceber que o rapaz já não é tão sorridente como antes, sendo muito mais frio, calculista e realista deixa Futaba realmente frustrada e chateada, principalmente por não conseguir mais engolir ser alguém diferente do que é apenas para agradar os outros. Sendo assim, decide de uma vez por todas que irá lutar pelo amor de Kou e também por trazer de volta o belo sorriso que o menino abandonou enquanto ela mesma busca amizades que aceite a si mesma como realmente é.


Eu sou completamente apaixonada por esse mangá, seja pelo seu enredo, seja pelos personagens ou ainda pelos desenhos maravilhosos que a Sakisaka faz com aquarela! Acho que ele trata de uma delicadeza tão linda questões familiares, perdas, força de vontade e o arrependimento de uma forma muito realista com personagens ainda mais realistas, o que é muito raro encontrar nos Shoujos da vida em minha opinião. É impossível não ler esse mangá e não terminar se identificando com algumas temáticas e o quão uma única ação pode mudar completamente sua vida, acaba sendo o tipo de leitura romântica que você pensa “realmente eu posso fazer diferente, então por que não faço?”. É fantástico!

Imagem: Integra
Uma curiosidade para os amantes de cinema é que o mangá ganhou uma adaptação para anime em 2014 contento 12 episódios e uma versão live-action no mesmo ano, tendo a maravilhosa Tsubasa Honda como Futaba e Masahiro Higashide como Kou. Todavia, vou confessar para vocês que eu não curti muito o anime e nem o filme. Acho válido assisti-los, mas faltou mostrar muitas coisas importantes em ambos os casos, por isso recomendo que primeiramente leiam o mangá!


Confesso para vocês que comprar toda coleção é um pouco cara, eu mesma só tenho o volume 13, porém na internet tem alguns sites que vocês podem ler online e tudo credenciado certinho, então não tenha desculpa e venha você também para o mundo dos quadrinhos japoneses!

Então até a próxima pessoal, deixo vocês abaixo com um desenho meu em aquarela que fiz do mangá ♥

Uma publicação compartilhada por Lis (@florde_campo) em

Sabe aqueles dias que você acorda, olha para sua estante de livros ou os livros pendentes sobre o seu criado mudo e pensa “ah, hoje não”? Isso pode ser sintoma de uma coisinha chamada Ressaca Literária, você conhece?!


Afinal, o que é uma Ressaca Literária?

Bom, segundo minha pesquisa por milhões de blogs e sites literários desse Brasil, ressaca literária é quando você perde o interesse de ler. Sim, isso mesmo, perder o interesse de ler e acredite: é algo normal e acontece nas melhores famílias!

A Ressaca Literária pode ocorrer de duas formas:

Créditos Como Eu Realmente

a) a primeira forma é quando você leu um livro incrível, muito incrível mesmo, tão incrível que, de repente, nenhum outro livro parece ser bom o suficiente como ele e isso te leva a ter “crises” ao ponto de não ler mais nada até achar algo bom novamente;

b) a segunda forma já é um pouquinho mais complexa e, por incrível que pareça, muito comum, pois trata-se de quando estamos lendo um livro que não nos agrada nenhum um pouco. Por mais que você estenda a leitura, se force a ler, nada rende e a sensação que você tem é que leu, leu e leu e ainda não saiu do lugar.

Créditos Como Eu Realmente

Aposto que nesse momento você deve estar pensando “MEU DEUS EU TENHO ISSO, JÁ PASSEI POR ISSO” e eu te digo: calma. Ter ressaca literária não é nenhuma “doença” contagiosa e muito menos o fim do mundo, é algo normal e que pode acontecer a qualquer momento por n fatores que o levam a isso: falta de tempo, leituras obrigatórias em maior quantidade, falta de vontade etc. Todos esses fatores são aceitáveis e não é motivo para se culpar.

Sabe, nós temos o péssimo costume de tentar transformar algo para laser em obrigação e tudo que se torna obrigação acaba se tornando chato e exaustivo, principalmente por sermos pessoas humanas que tem sentimentos e, consequentemente, desejo. Nós somos movidos por desejos e vontades, se tornamos um laser algo obrigatório, em algum momento irá ocorrer a perda pelo desejo e isso é completamente compressível e sem necessidade de neuras.

Como curar uma ressaca literária, então?

Simples! Descante dos livros! Parece um absurdo indicar isso, não é? Mas é uma verdade. Nós precisamos de um tempo só nosso às vezes para simplesmente não pensar em nada, apenas relaxar.

Créditos Como Eu Realmente

Nunca se cobre tanto em ler milhões de livros em prazos impossíveis, pois não só se torna uma leitura obrigatória, como também te desgasta ao ponto de você perder interesse. Eu já comentei isso aqui no blog uma vez, mas retorno a repetir: qualidade é diferente de quantidade. Não importa quantos livros você leia correndo apenas para dizer “li tantos livros esse ano”, sendo que leu na correria, não apreciou a obra com cuidado, não sabe se foi uma boa leitura, leu apenas por ler (por números). O número de livros que você lê por dia, mês e ano não te torna um leitor melhor ou pior que ninguém, é um mito e tabu que deve ser desmitificado o quanto antes. Eu defendo o lema de que não importa se você leu um livro ou duzentos, se esse livro foi incrível, te proporcionou experiências ótimas e grandes aprendizados, ele já valeu a pena em sua vida.

Então concluo esse post dizendo para você nunca se cobrar demais pela quantidade de nada. Aliás, nunca se cobre demais por nada, siga o seu ritmo e foque que vale mais que tenha qualidade, sentido e prazer em suas leituras do que algo obrigatório e chato, combinado? ♥

Por hoje é só, nos vemos logo!

PS: as tirinhas que ilustraram o post de hoje vieram do site Como Eu Realmente, desenhadas pela bela artista Fernanda Nia ao qual admiro muito seu trabalho. Não deixem de dar uma olhadinha nas outras tirinhas dela, pois são muito divertidas e fofinhas em situações que todo mundo passa em seu cotidiano. Vale a pena!

Olá pessoal (se é que alguém ainda se lembra de que o blog existe) hoje eu vim aqui dar a cara a tapa e falar sobre várias coisas que vem me intimidando muito a postar com frequência no blog e após tal explicação conversamos sobre o futuro da Tulipa, tudo bem?

Imagem ilustrativa | retirada do Tumblr

Em primeiro lugar, uma coisa que me deixa muito coagida — exatamente essa a palavra, coagida — é o fato de eu estar em uma espécie de “ressaca literária” (tema do próximo Por Trás Da Estante). Ressaca literária é quando você não consegue avançar nas leituras, quando você não se sente mais com vontade de ler e toda essa cobrança ao qual eu tenho que ler e falar estava me matando. “Eu tenho um blog sobre livros e não estou lendo direito, algo de errado não está certo aqui!” esse foi meu pensamento o ano inteiro e eu finalmente me toquei em um fator importante que derrubou esse pensamento maldoso que não só pensei, mas ouvi também: ler não é uma obrigação, é uma distração e um passa tempo, algo que deve ser feito pelo prazer. Eu não leio livros por ser obrigada, obrigação eu só tenho com minhas leituras acadêmicas e ainda assim é opcional se eu realmente quero me capacitar ou não, entendem? É difícil lidar com inúmeros trabalhos, leituras acadêmicas, vida real e ainda assim ter um tempinho para ler e atualizar o blog. Tem dias que eu só quero chegar em casa e dormir ou quanto muito assistir algum dorama tranquilo com a intenção literal de me distrair da vida e ter um momento só meu.

O segundo ponto que quero muito ressaltar é a falta de comentários vindos de vocês, caro leitores. É difícil você se empenhar em algo, detalhar e indicar algo para vocês e não receber nada de vocês. Não estou dizendo que vocês são obrigados a comentar os posts e nem que me devem algo, afinal eu estou aqui escrevendo porque eu quero por livre e espontânea vontade. Contudo, receber um feedback de vocês para saber se estão gostando, o que pode ser melhorado e trocar informações incentiva muito esse ser que está do outro lado da tela mantendo um blog no ar em tempos onde todo mundo só quer saber de YouTube. Eu amo escrever, me saio melhor aqui do que em vídeo e para continuar aqui fazendo o que gosto eu preciso de vocês participando também, tanto pelo Facebook e Twitter, mas principalmente pelos comentários dos posts e seguindo o blog pela sua conta Google. Isso ajuda demais o blog a crescer e demonstra a opinião de vocês em relação ao que eu faço no site.

Explicado meus motivos, como será daqui para frente?

Bom, o futuro é incerto, porém eu comprei um caderno só para me organizar em relação ao blog e me proponho a continuar com a Tulipa ativo novamente se vocês toparem também! Sendo assim, teremos algumas mudanças ao qual boa parte já entra em vigor a partir desse ano. São elas:

* Sobre a aba do menu com as leituras do ano: não vai mais existir, pois olhar para ela e ver tão pouco me dá agonia, sem contar que quando demoro muito a atualizar essa página eu me perco toda! No lugar dela criarei para janeiro uma “Meta de leitura” para o ano, ao qual terei que ler um ou mais livros a partir daquela meta selecionada para cada mês. Obviamente vocês também podem participar dessa meta e é por isso que espero mais participações de vocês, afinal se muita gente se envolver podemos até criar um grupo pelo facebook para discutirmos os livros quem sabe, olha que maneiro! Tendo uma meta/objetivo acredito que ficará mais produtivo as leituras do que algo muito solto e abstrato;

* O blog se chama Tulipa Literária, mas o blog não será somente em literatura. Sabe, eu poderia mudar a url, poderia mudar o título ou começar algo novo. Mas aqui é o meu lar e eu me propus há um tempo que faria isso aqui acontecer, então abandonei todas as cogitações de mudanças e adaptarei aqui mesmo para o que eu quero. Vou criar mais colunas, algumas sobre algo pessoal, outras sobre animes, doramas etc. Fazer algo fixo que sempre comento, mas nunca ponho em prática. Dessa vez é para valer e espero que vocês gostem do novo material que estou preparando;

* Eu vou tentar seguir meu planejamento em atualizar o blog em dias fixos, porém não será mais como antes em dois dias da semana. Por enquanto, até eu pegar o ritmo de novo, será todos os finais de semanas (provavelmente domingo) e feriados. Quando eu me sentir confiante de novo em relação a isso, aumento os dias.

Por enquanto essas serão as mudanças. Por favor, não deixem a magia dos blogs acabarem, comentem o que vocês acham não só aqui, mas em todos os outros blogs que vocês acessam. Isso faz toda a diferença para a gente que está aqui lutando mesmo quando o mundo inteiro só quer saber do Youtube (que por sinal é ótimo, mas não existe só ele com conteúdos bacanas na internet!).

Por hoje é só, deixo vocês com um videoclipe de uma música que amo e com a esperança de nos vermos muito em breve! O blog entrará em uma fase mais organizada, planejada e com foco preciso, dará tudo certo! Abraços, Lis.