Olá pessoal (se é que alguém ainda se lembra de que o blog existe) hoje eu vim aqui dar a cara a tapa e falar sobre várias coisas que vem me intimidando muito a postar com frequência no blog e após tal explicação conversamos sobre o futuro da Tulipa, tudo bem?

Imagem ilustrativa | retirada do Tumblr

Em primeiro lugar, uma coisa que me deixa muito coagida — exatamente essa a palavra, coagida — é o fato de eu estar em uma espécie de “ressaca literária” (tema do próximo Por Trás Da Estante). Ressaca literária é quando você não consegue avançar nas leituras, quando você não se sente mais com vontade de ler e toda essa cobrança ao qual eu tenho que ler e falar estava me matando. “Eu tenho um blog sobre livros e não estou lendo direito, algo de errado não está certo aqui!” esse foi meu pensamento o ano inteiro e eu finalmente me toquei em um fator importante que derrubou esse pensamento maldoso que não só pensei, mas ouvi também: ler não é uma obrigação, é uma distração e um passa tempo, algo que deve ser feito pelo prazer. Eu não leio livros por ser obrigada, obrigação eu só tenho com minhas leituras acadêmicas e ainda assim é opcional se eu realmente quero me capacitar ou não, entendem? É difícil lidar com inúmeros trabalhos, leituras acadêmicas, vida real e ainda assim ter um tempinho para ler e atualizar o blog. Tem dias que eu só quero chegar em casa e dormir ou quanto muito assistir algum dorama tranquilo com a intenção literal de me distrair da vida e ter um momento só meu.

O segundo ponto que quero muito ressaltar é a falta de comentários vindos de vocês, caro leitores. É difícil você se empenhar em algo, detalhar e indicar algo para vocês e não receber nada de vocês. Não estou dizendo que vocês são obrigados a comentar os posts e nem que me devem algo, afinal eu estou aqui escrevendo porque eu quero por livre e espontânea vontade. Contudo, receber um feedback de vocês para saber se estão gostando, o que pode ser melhorado e trocar informações incentiva muito esse ser que está do outro lado da tela mantendo um blog no ar em tempos onde todo mundo só quer saber de YouTube. Eu amo escrever, me saio melhor aqui do que em vídeo e para continuar aqui fazendo o que gosto eu preciso de vocês participando também, tanto pelo Facebook e Twitter, mas principalmente pelos comentários dos posts e seguindo o blog pela sua conta Google. Isso ajuda demais o blog a crescer e demonstra a opinião de vocês em relação ao que eu faço no site.

Explicado meus motivos, como será daqui para frente?

Bom, o futuro é incerto, porém eu comprei um caderno só para me organizar em relação ao blog e me proponho a continuar com a Tulipa ativo novamente se vocês toparem também! Sendo assim, teremos algumas mudanças ao qual boa parte já entra em vigor a partir desse ano. São elas:

* Sobre a aba do menu com as leituras do ano: não vai mais existir, pois olhar para ela e ver tão pouco me dá agonia, sem contar que quando demoro muito a atualizar essa página eu me perco toda! No lugar dela criarei para janeiro uma “Meta de leitura” para o ano, ao qual terei que ler um ou mais livros a partir daquela meta selecionada para cada mês. Obviamente vocês também podem participar dessa meta e é por isso que espero mais participações de vocês, afinal se muita gente se envolver podemos até criar um grupo pelo facebook para discutirmos os livros quem sabe, olha que maneiro! Tendo uma meta/objetivo acredito que ficará mais produtivo as leituras do que algo muito solto e abstrato;

* O blog se chama Tulipa Literária, mas o blog não será somente em literatura. Sabe, eu poderia mudar a url, poderia mudar o título ou começar algo novo. Mas aqui é o meu lar e eu me propus há um tempo que faria isso aqui acontecer, então abandonei todas as cogitações de mudanças e adaptarei aqui mesmo para o que eu quero. Vou criar mais colunas, algumas sobre algo pessoal, outras sobre animes, doramas etc. Fazer algo fixo que sempre comento, mas nunca ponho em prática. Dessa vez é para valer e espero que vocês gostem do novo material que estou preparando;

* Eu vou tentar seguir meu planejamento em atualizar o blog em dias fixos, porém não será mais como antes em dois dias da semana. Por enquanto, até eu pegar o ritmo de novo, será todos os finais de semanas (provavelmente domingo) e feriados. Quando eu me sentir confiante de novo em relação a isso, aumento os dias.

Por enquanto essas serão as mudanças. Por favor, não deixem a magia dos blogs acabarem, comentem o que vocês acham não só aqui, mas em todos os outros blogs que vocês acessam. Isso faz toda a diferença para a gente que está aqui lutando mesmo quando o mundo inteiro só quer saber do Youtube (que por sinal é ótimo, mas não existe só ele com conteúdos bacanas na internet!).

Por hoje é só, deixo vocês com um videoclipe de uma música que amo e com a esperança de nos vermos muito em breve! O blog entrará em uma fase mais organizada, planejada e com foco preciso, dará tudo certo! Abraços, Lis.



Oi, tudo bem com vocês?! Confesso que sou apaixonada por aquarela e sempre fico encantada com obras aquareladas e frases em nanquim! Pensando sobre isso, hoje vim ensinar para vocês a como fazer um marcador de aquarela muito fofo e acessível para todo mundo!

Para esse DIY você vai precisar de:

1- Folha cartolina ou papel para aquarela;
2- Caneta permanente de ponta fina (1,0);
3- Lápis, tesoura e régua;
4- Pincel macio e aquarela (dessas de escola mesmo);
5- Papel contact transparente.
Passo 1:

Em um pedaço de cartolinha meça um retângulo de 5x20cm, recorte e reserve. Pegue seu estojo de aquarela e despeje de duas a três gotas de águas nas cores que preferir, molhe o pincel na tinta e vá espalhando na cartolina até onde desejar. Repita o processo até preencher toda a extensão do seu marcador. Dicas: a aquarela é feita a base de camadas, portanto caso queira seu marcador com cores mais vibrantes é só esperar que a mesma seque por alguns minutos e depois repetir o processo de coloração.

Passo 2:

Após o papel estar bem seco, procure algum trecho de livro, música ou alguma frase que te agrade e escreva no papel bem caprichado com um lápis. Passe a caneta preta depois e acrescente alguns desenhos para ficar mais divertido! Use e abuse da criatividade! Dica: caso queira fazer alguma letra diferente da sua, tem várias fontes legais na internet, só olhar e reproduzir no papel com cuidado que fica certinho!

Passo 3:

Para encerrar, para que seu marcador dure por muito tempo, encape-o com papel contact transparente e prontinho!

Esse é o resultado final! O mais legal é que não importa quantos fizer, sempre vai sair resultados diferentes!

Espero que tenham gostado! ♥


Autor: Lygia Bojunga
Editora: Casa Lygia Bojunga
Páginas: 135
Ano: 2013
ISBN: 9788589020039

Sabe aqueles livros para criança que você para e pensa “isso é realmente apenas para o público infantil?”, pois é, acabei me deparando com “A Bolsa Amarela” e me surpreendendo muito com a história!

Raquel é uma menina encantadora que possui três grandes desejos: o primeiro é ser escritora, o segundo é ser um menino e o terceiro é ser adulta. Contudo, sua família em nada apoia a menina e às vezes até tem atitudes erradas com a garotinha. Cansada de carregar tantos desejos sozinha, Raquel ganha uma velha bolsa amarela de fivela, ali passa a guardar seus desejos, seus textos, um guarda-chuva quebrado, um alfinete enferrujado e até mesmo um galo chamado Afonso, que saiu de uma de suas próprias histórias!

Em seu dia a dia, passa por diversas aventuras entre realidade e imaginação, e com o passar do tempo, Raquel nota que sua bolsa está ficando cada vez mais pesada e inchada, tamanha as bugigangas que carregava sempre consigo. No decorrer do livro vão surgindo aventuras cada vez mais divertidas para a garota enfrentar ao lado de sua estimada bolsa amarela!

“Se o pessoal vê as minhas três vontades engordando desse jeito e crescendo que nem balão, eles vão rir, aposto. Eles não entendem essas coisas, acham que é infantil, não levam a sério. Eu tenho que achar depressa um lugar pra esconder as três: se tem coisa que eu não quero mais é ver gente grande rindo de mim.” – A Bolsa Amarela

O livro, obra nacional, é encantador pela delicadeza e a crítica que faz a muitos fatos da nossa realidade através do olhar de uma menina cansada de não ser compreendida e respondida. Achei muito interessante seus questionamentos e o modo como busca as respostas para cada um deles.

“Às vezes a gente quer muito uma coisa e então acha que vai querer a vida toda. Mas aí o tempo passa. E o tempo é o tipo de sujeito que adora mudar tudo. Um dia ele muda você e pronto: você enjoa de ser pequena e vai querer crescer.” – A Bolsa Amarela

Outro fato legal que o livro nos ensina é a magia de não desistir daquilo que queremos. Parece que depois que crescemos e temos que encarar uma vida adulta cheio de problemas, contas e desafios repercutem na ausência de coragem em tentar realizar nossos sonhos, de ser quem somos. Raquel mostra que se ela, apenas uma menina, consegue ter a garra e a força de vontade para ir atrás do que quer, por que nós não podemos ter também?!

É uma leitura fácil, rápida e muita divertida. Para todas as idades e fases da vida!

“_Você não vai mais esconder as vontades dentro da bolsa amarela? _Não. Elas viram que eu tava perdendo a vontade delas, então perguntaram se podiam ir embora. Eu falei que sim. Elas quiseram saber se podiam ir que nem pipa e eu disse ‘claro, ué’.” – A Bolsa Amarela